27 de abr de 2010

Sugestão

Avaliar Planos de Segurança e Saúde é tarefa complicada. Ter a reponsabilidade de fazer a validação técnica do desenvolvimento do PSS ainda pior. Em geral a imagem que me surge é a de um burro a comer palha e depois querem todos despachar o assunto que ninguém tem por onde lhe pegar e surge a imagem tapar o sol com a peneira. Se nem o próprio autor do PSS o consegue defender :-D quanto mais quem está no fim da linha e que vai ter que se servir dele para conduzir a obra em matéria de segurança e saúde. Tenho lido exaustivamente o Decreto-lei n.º 273/2003 e verifico que a maior parte da "tralha" que se põe no PSS não é pedida. Sugiro que se elabore o PSS seguindo a forma e o conteúdo do Decreto-lei, tão mais simples para quem faz como para quem precisa de um guia orientador para a obra. A coordenação de segurança agradece!

2 comentários:

dsd.pt disse...

Concordo claramente com o que aqui está escrito. Mas eu iria mais longe quanto aos PSS apresentados. Muitos deles vão muito além da palha, chegando a ser plágios uns dos outros, em que o seu conteúdo nada tem a ver com a obra a executar. Quando me deparo com estas situações, que são bastantes, devolvo-os e solicito reformulação do mesmo. Em média, eles vãopara trás 2 vezes, só à terceira é que se encontram em condições de serem validados. Nestas situações, é muito comum ter de me reunir com os empreiteiro a fim de lhes explicar como deve ser elaborado o PSS (fase da obra^), que conteúdos abordar e qual a sua finalidade. Um dos últimos que analisei, acharam que não se justificava a definição de medidas preventivas depois de elaborar a avaliação e hierarquização dos riscos.

Mónica disse...

dsd.pt: se o "plágio" for de um bom pss vale a pena :P. na minha opinião o PSS podia ser um documento universal (com as devidas adaptações)